Minhas Compras
cesta vazia
TELEVENDAS: (41)3253-3035
| | | | |
1/5/2017 03:12:32 hs
busca: Veja como melhorar a Busca
border=0
 CATÁLOGO
border=0
 Revivendo
border=0
 Again
border=0
 BIOGRAFIAS
border=0
 Nacionais
border=0
 Internacionais
border=0
 ALMANAQUE
border=0
 Reportagens
border=0
 Registros
border=0
 Curiosidades
border=0
 A PRODUTORA
border=0
 História
border=0
 Leon Barg
border=0
 Acervo
border=0
 Localização
border=0
 LINKS
border=0
 Links de MPB
border=0
border=0
border=0
border=0
Última Fase de Ataulfo Alves Ganha Reedição
Reportagens
Mais Reportagens
...veja mais
Última Fase de Ataulfo Alves Ganha Reedição

samba 
Última fase de Ataulfo Alves ganha reedição 
 
Em dezembro, será lançado o primeiro de uma série de cinco discos com a obra do compositor gravada entre 1955 e 1969 
Publicado em 30/11/2011 | Agência O Globo 
 
Fale conosco 
Comunicar erros 
RSS 
Imprimir 
Enviar por email 
Receba notícias pelo celular 
Receba boletins 
Aumentar letra 
Diminuir letra 
 
Com o lançamento do primeiro CD da série de cinco reunindo 104 gravações de Ataulfo Alves para selos hoje sob a guarda da Universal Music (Sinter, Polydor, PolyGram, Phonogram etc.), está bem representada a última parte da carreira de um dos maiores compositores de samba. A fase, iniciada em 1955 com suas primeiras gravações para a Sinter e só encerrada com sua morte, aos 59 anos, em 1969, foi também a de maior sucesso em rádio, tevê, shows, excursões e discos. 
 
A série, cujo segundo volume está prometido para dezembro e os três seguintes para o primeiro semestre de 2012, é o último trabalho do produtor musical Leon Barg (1930-2010) para seu selo Revivendo. Diferente de projeto anterior do mesmo Barg – três CDs em que as principais composições de Ataulfo são interpretadas por vários artistas, ele inclusive –, os cinco de agora têm o próprio compositor cantando, além de obras suas, sambas de Ary Barroso, Noel Rosa, Ciro Monteiro, Vinicius de Moraes. Boa oportunidade para se constatar o quanto também era grande o Ataulfo Alves cantor. 
 
Quando ele assinou contrato com a Sinter, a gravadora chegava ao seu décimo ano de existência sem conseguir se aproximar de Odeon, RCA Victor e Continental na luta pelo mercado de música popular brasileira. Mesmo com alguns de seus esforços – a aquisição temporária de cartazes como Sílvio Caldas e Dick Farney, além do pioneirismo de gravar e lançar em 1951 o primeiro LP produzido no Brasil –, a parada de sucessos ainda era uma meta distante. Até que chegaram Ataulfo Alves e seu samba “Pois É” para mudar a história – dele, da Sinter e da música popular da época. 
 
A ida de Ataulfo para a Sinter não foi um fato isolado. Naqueles anos pré-bossa, em que Lúcio Rangel e outros estudiosos lideravam movimento pela revalorização da música brasileira mais tradicional, a gravadora investia em artistas já considerados “nomes do passado”, mas ainda em grande forma. Pixinguinha e sua Velha Guarda, Lamartine Babo e seus sucessos, Almirante, Ismael Silva, Paulo Tapajós cantando Catulo, J. Cascata & Leonel Azevedo na voz de Carlos Augusto, Assis Valente na de Marlene, nomes por mais de uma década afastados do disco, ganhavam caprichados LPs de 10 polegadas, a maioria com capas desenhadas por Lan. O de Ataulfo e suas Pastoras, com foto em vez de caricatura, saiu pouco após o 78 rotações de estreia, “Pois É” de um lado, “Pai Joaquim d’Angola” do outro. 
 
Realmente mudou a história. A Sinter chegou às paradas (“Pois É” foi o recordista do ano), os nomes do passado ganharam atualidade, o samba tradicional mais uma vez renasceu e Ataulfo, depois de período não muito feliz em outras gravadoras, principalmente a Star (futura Copacabana), partiu para seu melhor momento profissional, primeiro com as Pastoras e depois sozinho ou com outros acompanhantes. 
 
Barg deixou o repertório dos cinco CDs selecionado e reprocessado digitalmente, mas não autorizado. Quando a licença da Universal foi dada, ele já tinha morrido. Com a demora, perdeu-se a ocasião para se lançar a série em 2009, ano do centenário de nascimento de Ataulfo. 
 
Repertório 
 
No primeiro disco, estão 20 faixas: “Cabe na Palma da Mão”, “Quando o Samba Acabou”, “O Requebrado da Mulata”, “Mirai”, “Favela”, “Saudade da Saudade”, “Nem Que Chova Canivete”, “Caminhando”, “O Homem e o Cão”, “Gente Bem Também Samba”, “Bom Crioulo”, “Pago pra Ver”, “Vestido de Noiva”, “Não Posso Acreditar”, “Me Queira Agora”, “Mentira do Povo”, “Você Passa Eu Acho Graça”, “Vai, Madalena”, “Deixa o Toró Desabar” e “Você Não É como as Flores”. 
 
É pena que neste e nos próximos quatro CDs as músicas estejam dispostas, não cronologicamente, mas por critério que tem a marca de Leon: dividir seus discos entre os maiores sucessos do artista e faixas que eventualmente não tenham acontecido. 


 Lançamentos
border=0
 Promoções
border=0
 Novidades
border=0
 DVDs
border=0
 CDs/DVDs Religiosos novo
border=0
 Destaques
border=0
 Futuros Lançamentos
border=0
 Catálogo por Gravadoras
border=0
 Gênero Musical
border=0
 World Music
border=0
 Download do Catálogo
border=0
 Cadastre seu e-mail
border=0
border=0
border=0
Revivendo Musicas - 22 anos preservando a Musica Popular Brasileira
Raul seixas Mpb Nelson gonçalves carlos ramires Cascatinha Christian e ralph FEVERS Pixinguinha Gonzagão Grever Dalva de oliveira Lunar Teca Tonico e tinoco Caim Serestas Sertanejos Nilton cesar Orlando silva Orquestra
página inicial | fale conosco | ajuda | cadastro | política de privacidade e segurança

© Copyright 1987-2015 Revivendo Músicas Ltda. - Todos os Direitos Reservados
As logos Revivendo® e Again® são marcas registradas da Revivendo Músicas Ltda.
A manutenção, a distribuição e a comercialização dos produtos encontrados neste site
é feito por Barg Comércio de Discos e Acessórios Musicais Ltda.
Os preços dos produtos podem sofrer alteração sem aviso prévio.