Minhas Compras
cesta vazia
TELEVENDAS: (41)3253-3035
| | | | |
21/10/2017 13:31:14 hs
busca: Veja como melhorar a Busca
border=0
 CATÁLOGO
border=0
 Revivendo
border=0
 Again
border=0
 BIOGRAFIAS
border=0
 Nacionais
border=0
 Internacionais
border=0
 ALMANAQUE
border=0
 Reportagens
border=0
 Registros
border=0
 Curiosidades
border=0
 A PRODUTORA
border=0
 História
border=0
 Leon Barg
border=0
 Acervo
border=0
 Localização
border=0
 LINKS
border=0
 Links de MPB
border=0
border=0
border=0
border=0
Curiosidades
Forró, a dança da moda

Forró, a dança da moda

Leonardo Dantas Silva


Nesses dias de junho e porque não dizer no ano inteiro, só se fala em forró, como sendo um ritmo de estrutura própria e independente dos demais, tal qual o baião nos anos cinqüenta do século passado, quando Luiz Gonzaga cantava de Zédantas: “Ai, ai, ai ai! / São João. / Ai, ai, ai ai! / São João. / É a dança da moda / E em toda roda / Só pedem o baião...”
Para melhor explicar tudo isso, lembrei-me do verbete – forró –, por mim escrito para o Dicionário da Música Brasileira (S. Paulo: Art-Editora, 1998) que passo para vocês: FORRÓ - Abreviatura de forrobodó e forrobodança, de uso comum na imprensa pernambucana da segunda metade do século XIX, para designar o local onde acontecia determinado baile popular. O vernáculo é bem brasileiro, nada tendo a ver com for all, como querem alguns descobridores de anglicismos. O seu uso tornou-se comum na imprensa do Recife – América Ilustrada, nº 25/ 1882, e Mephistopheles, nº 15/1883 –, sendo classificado por Rodrigues de Carvalho, in Cancioneiro do Norte (Fortaleza 1903), como “bailes da canalha” e por Pereira da Costa, in Vocabulário Pernambucano (1908), como “divertimento, pagodeira, festança”. Com o uso continuado, o vocábulo forrobodó passou a ser utilizado em sua segunda acepção – forrobodança –, assim definida na A Lanceta, nº 121 / 1913: “... é um baile mais aristocrático do que o Chorão do Rio de Janeiro, obrigado a violão, sanfona, reco-reco e aguardente. Nele toma parte indivíduos de baixa esfera social, a ralé [...] A sociedade que toma parte no nosso forrobodança é mesclada; há de tudo. Várias vezes verificam-se turras e banzés sem que haja morte ou ferimentos. Fica sempre tudo muito camarada; muito bem, muito obrigado” (A dança da moda).
A imagem diferente nos é pintada, já nos anos cinqüenta, por Zédantas (José de Souza Dantas Filho), in Forró do Mané Vito, gravado por Luiz Gonzaga em 1949 (RCA 80.0668B); ainda Zédantas, Forró em Caruaru, gravado por Jackson do Pandeiro em 1955; Edgar Ferreira, in Forró em Limoeiro, também gravado por Jackson do Pandeiro (Copacabana nº 5155) e, novamente, Zédantas, in Forró de Zé Antão, também gravado por Luiz Gonzaga em 1962 (RCA BBL 1175B).
No final dos anos 50, com a construção de Brasília, foram transferidos, para o Planalto Central, dezenas de milhares de nordestinos que, a exemplo do que já vinha acontecendo no Rio de Janeiro e São Paulo, vieram estabelecer os seus bailes populares com o título de forró, geralmente antecedendo ao nome do proprietário: “o forró de Zé do Baile toca o ano todo/ toca o ano todo...”.
As chamadas Casas de Forró surgiram, nos anos 70, do século vinte, com uma grande presença de artistas nordestinos, como local de divertimento dos migrantes nordestinos, sendo freqüentadas por trabalhadores da construção civil, empregadas domésticas, segmentos outros da comunidade subalterna, bem como por gente da classe média saudosa dos ritmos regionais, ameaçados pela programação radiofônica, onde só havia espaço para músicas estrangeiras. Nos anos setenta, as Casas de Forró, não só do Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Natal e outras cidades, passaram a receber a freqüência dos chamados defensores da música popular brasileira, despertando assim o interesse da juventude universitária que viram no ambiente uma forma diversão autêntica e barata. Artistas como Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Marinês e sua gente, Trio Nordestino, Abdias, Zé Gonzaga, Genival Lacerda, passaram a ser freqüentadores assíduos dos calendários de apresentações, abrindo assim um mercado que se encontrava em baixa.
Nos nossos dias, no forró, a exemplo do baião nos anos cinqüenta, existe lugar para todos os ritmos rurais do Nordeste e até de outras regiões. Sob o seu rótulo, vamos encontrar o xote, o rojão, a marcha de roda e a marcha junina (ambas oriundas da marcha popular portuguesa), o xenhennhém, a toada, o samba rural, o xaxado, o coco, a mazurca, a rancheira e o próprio baião, como também ritmos alienígenas como o merengue, que aparece travestido de lambada e quadrilha.
Aproveitando a onda de modismo de velhos e moços, o forró tornou-se a palavra de ordem, integrando o repertório de dezenas de conjuntos do gênero, além dos grupos do chamado Forró pé-de-serra, que o Ivan Ferraz e o Elias Lourenço não se cansam de promover nos seus programas radiofônicos diários.
Até mesmo no centro-sul do país, despontando como sucesso na trilha do filme Eu, tu e eles..., onde um xote de Gilberto Gil tomou conta da programação musical de todas as rádios. Tudo isso para não falar em intérpretes como Santana, Alceu Valença, Elba Ramalho, Osvaldinho, Dominguinhos, Sivuca, Chiquinha Gonzaga, Maciel Melo, Petrúcio Amorim, Flávio José, Lenine, Orismar, Novinho e uma infinidade de outros nomes.



Voltar

 Lançamentos
border=0
 Promoções
border=0
 Novidades
border=0
 DVDs
border=0
 CDs/DVDs Religiosos novo
border=0
 Destaques
border=0
 Futuros Lançamentos
border=0
 Catálogo por Gravadoras
border=0
 Gênero Musical
border=0
 World Music
border=0
 Download do Catálogo
border=0
 Cadastre seu e-mail
border=0
border=0
border=0
Revivendo Musicas - 22 anos preservando a Musica Popular Brasileira
Raul seixas Mpb Nelson gonçalves carlos ramires Cascatinha Christian e ralph FEVERS Pixinguinha Gonzagão Grever Dalva de oliveira Lunar Teca Tonico e tinoco Caim Serestas Sertanejos Nilton cesar Orlando silva Orquestra
página inicial | fale conosco | ajuda | cadastro | política de privacidade e segurança

© Copyright 1987-2015 Revivendo Músicas Ltda. - Todos os Direitos Reservados
As logos Revivendo® e Again® são marcas registradas da Revivendo Músicas Ltda.
A manutenção, a distribuição e a comercialização dos produtos encontrados neste site
é feito por Barg Comércio de Discos e Acessórios Musicais Ltda.
Os preços dos produtos podem sofrer alteração sem aviso prévio.